Le Desordre C’est Moi


Outta my hands
dezembro 29, 2008, 12:15 am
Filed under: Pessoal, sentir

palhaço triste Pior que não receber uma ligação é querer ligar mas não saber o que falar. Há momentos que é melhor não dizer nada e deixar você e o outro pensar, mas o coração não sussega. Frases são programadas, palavras analisadas, cada detalhe…mas seria melhor ligar? Dificilmente isso, hoje, vai chegar em algum lugar. Para quê ligar então?
Quem dera o coração pensasse.

E se não houver mais amanhã e tudo acabar assim, não resolvido, conversado?
………não é uma boa desculpa hoje, que estou certa. E dessa vez não vou abrir mão.

    “Oh.. I’m such a fool
    I’m such a fool
    I’m such a fool
    Cause this one’s Outta my hands”
    Katy Perry – Mannequin
Anúncios


Christmas gifts
dezembro 17, 2008, 2:16 am
Filed under: Comportamento, Pessoal

Ontem conversei com um doende/elfo/gnomo dentro do Banco Real, e deixando de lado a parte de achar que ele estava loucamente fora de si por falar de maneira estranha, estar tão sorridente as 10h da noite de uma segunda feira a noite e com um chapéuzinho verde na cabeça, fiquei vendo que o natal deixa as pessoas muito mais “amorosas”. Mesmo aqui no Brasil, que ninguém tem tanto essa cultura igual em alguns outros países (nem temperatura para comemorar o natal), todo mundo feliz, tirando foto com o papai noel, na arvore de natal….Até um bando de uns 7 skatistas tirando foto embaixo de uma arvore e levantando seus skates eu vi, bizarro.
A Av. Paulista está toda enfeitada, as casas absurdamente brilhantes, até tentei tirar algumas fotos de turista mas estava só com o celular e só saiam borroes brancos ¬¬
Acho bonita essa felicidade toda vinda por conta de uma crença que grande maioria nem sabe exatamente a história. Ao menos a cidade fica mais bonita, no dia de natal tem trocentas comidas *__*, todo mundo ganha presentes, a busca do presente perfeito…na verdade era esse meu foco inicial que acabei perdendo.
Comprar presentes sempre é uma tarefa complicada. Você pode conhecer a pessoa há anos, mas nunca vai ter certeza se ela vai gostar do que você vai comprar, se ela precisa..trocentas divagações. Dar presente até para a sua própria mãe é complicado, que é sua MÃE.
Particularmente eu adoooro dar presentes. Quando tenho $tempo$ sobrando e encontro alguma coisa que é cara de alguém, sempre compro, acho mó legal presentear pessoas fora de época, sem essa “obrigação” de épocas. Ver alguém que você gosta ficar super sem jeito de ganhar um presente seu é tão bonitinho ^^. Mas comprar presentes em épocas de presentear é TÃO complicado…ainda mais para mim que adoro fazer algum embrulho bonitinho, fazer alguma caixinha com varias coisas…quando eu tenho *A* idéia, nunca acho exatamente as coisas que preciso e ela nunca sai do jeito esperado…as vezes sai melhor, as vezes sai pior…mas nunca é do jeito que tenho em minha cabeça. E como eu também NUNCA faço as coisas com antecedencia, não posso reclamar…
Não posso reclamar dos presentes que já ganhei (não de todos né… hahaha), acho divertido ficar imaginando como a pessoa chegou a ter essa idéia de dar algo xis para mim, é interessante porque reflete bastante a visão que a pessoa tem de você e isso é muito legal.
Saber o que os outros pensam de você (sendo bom ou ruim) é sempre legal… mesmo que você saiba que grande maioria das vezes nao é NADA daquilo, é bom saber como você exterioriza o que você é e pensa para algumas pessoas, mesmo que suas opiniões nao valham de nada.



Surpresas
dezembro 11, 2008, 4:46 pm
Filed under: Comportamento, para pensar, Pessoal, sentir

Uma das sensações mais mágicas pra mim é a sensação de ser surpreendida com alguma coisa boa. Uma mudança repentina de planos, um presentinho, uma ligação, mensagem, recado, qualquer coisa que você nao espera nem um pouco e do nada…PÁ, é jogada na sua cara e você fica vendo estrelinhas por horas. Sempre gostei muito da espontaneidade, de agir e depois pensar, de não ter planos e deixarem as coisas se desenrolarem lentamente e ver o caminho que elas vão levando.
Uma coisa que só me aconteceu esse ano foi justamente ligada ao que eu sempre gostei tanto: ser surpreendida.
Fui surpreendida de um modo tão intenso que ainda sequer aprendi a lidar com isso e acabo me perdendo em meio a milhares de pensamentos futuros com pensamentos “deixar rolar”, misturando tudo e surtando toda hora achando que estou perdendo o controle da situação. Controle, o qual eu nunca tive, e não sei porque achei que teria agora. Parece que o excesso de ‘surpresas’ que tive nos ultimos dias foi tanto que eu tô processando ainda tudo que aconteceu e não consigo caminhar normalmente, já que nunca passei por essa situação antes e não sei como proceder, pra que lado ir…

Mas afinal, porque eu deveria saber como proceder já que nunca tive controle sobre nada e deixei as coisas na minha vida acontecerem do jeito que quisessem acontecer sem eu prever nada?….
mais uma vez eu me confundindo com linhas de pensamento diferentes e caóticas. ê, mania…