Le Desordre C’est Moi


old forced changes sucks.

Durante toda sua vida, qualquer experiencia que aconteça em apenas um dia poderá te marcar para sempre. Seja uma atitude mal pensada, uma resposta cortada a um elogio ou uma ligação não atendida. Cada pedacinho da sua vida, dia após dia, vai montando o que você é, a maneira de agir em certas situações, de formas de ver um relacionamento e de demonstrar qualquer coisa a alguém. Muitas vezes pensamos que não há mal nenhum em ficar com aquela pessoa que não necessariamente te faz mal, mas também não te faz bem e te limita, mas a longo prazo isso pode ter consequencias irreparaveis.
Ser “obrigado” a agir de uma forma que você não está acostumado te faz mudar, as vezes para algo melhor, outras vezes para algo pior, depende do ponto de vista. A partir do momento que você aceita que tentará mudar, sua cabeça está aberta a essa tentativa e irá te ajudar da maneira que for possivel. Muitas vezes mudamos para tentar agradar outra pessoa, desde situações comuns como não fazer tantas ligações pois a pessoa trabalha muito ou mesmo agir de um modo mais carinhoso pois essa pessoa sente necessidade de estar sempre com um bom lembrete seu que você se importa com ela. O que devemos pensar sempre, é que essas mudanças, por melhores que pareçam no momento, podem mudar todo seu destino, sendo isso bom ou não.

Sempre fui uma pessoa extremamente carente e grudenta, mas após um namorado que não recebia bem esse meu tipo de ser no relacionamento, acabei me adaptando, já que não era algo que eu realmente sofreria se mudasse, não achei problema. Com o passar dos anos, isso só foi se agravando mais, tanto por mim mesma como pelas pessoas que estavam a minha volta. Pessoas X atraem pessoas X. Para mim, isso de os opostos se atraem nunca valeu completamente, já que eu nunca me apaixonaria por uma cara que não tem os mesmos gostos que eu para nada e que absolutamente nada bate. E quando você decide mudar sua “origem” para ser o que você não é realmente, as chances de você acabar criando uma mascara são grandes, fingindo a todos que você é uma coisa que não é real. Você até quer ser, mas nao é sua essencia, não está dentro de você e não é o que você sente.

Fico pensando agora se eu não tivesse me adaptado a alguém algumas vezes, mesmo que isso me fizesse sofrer ou me limitasse (e é claro que não percebi isso na hora, amor é cego. E burro.) como estaria hoje. Essas situações todas acabam criando um modo de ver a vida e diferentes tipos de conceitos em relação atitudes alheias, as vezes vendo que você já não é mais uma criancinha facilmente iludivel, e outras mostrando o quanto “traumas” passados estão refletindo agora, no presente.

Não é facil ver que uma pessoa hoje em dia quer ser tratada do jeito que você sempre quis tratar alguém no passado, mas simplesmente escondeu essa vontade num buraco pois a pessoa não merecia/queria que fosse assim, te limitava. Até sua cabeça acostumar que não é mais errado querer fazer o que você queria, lembrar sempre, querer estar sempre perto e tudo mais…não é facil. Enquanto isso, você se culpa por não conseguir expressar tudo que quer e agir do jeito que sempre achou fácil antes de seu ultimo relacionamento, se xingando constantemente por ter se auto-podado tanto que não consegue mais ser você mesma sem pensar em mils prós e contras achando que a pessoa ao seu lado não vai gostar. Ou simplesmente você cresceu, e mudou. Ainda bem.

Anúncios


Espontaneidade
novembro 12, 2008, 3:14 am
Filed under: Pessoal

Nesse fim de ano ando fazendo coisas muito impulsivamente (mais do que o normal), mas com uma convicção muito legal de que não estou fazendo merda, e olha que é difícil logo eu, em plenos dezoito conflitantes anos, tenha convicção de algo!
Não vou sair falando por aí (não tanto, vai) enquanto não estiver tudo ok, mas aconselho a quem entrar aqui hoje, começar a frequentar mais, porque A PARADA VAI SER LOUCA em janeiro ahahaha.

É isso aí cara, correr atras dos seus sonhos, só com aquele medinho saudavel que dá friozinho na barriga! Além de é claro, enquanto isso, se divertir um pouquinho 😉

Correndo, lendo, estudando, emagrecendo, sorrindo, lutando HORRORES.
Estou tão orgulhosa de mim! 🙂

E é claro, minhas pobres, Lisa e Mandy:

(foto tirada antes da Mandy ser tosada e virar outra cachorra, e quando ela ainda tinha essa coleira sem estar totalmente roída…pela Lisa. Amores! )

291008-11 291008-8

Diarinho mode off.



Eternal Sunshine
novembro 2, 2008, 5:07 am
Filed under: filmes, para pensar, sentir | Tags: , , , , ,

“(…)Fiquei pensando que no fundo, mesmo sem saber ou admitir estamos em busca de nossa Clementine, de nosso Joel, mas porque será que no fundo todos nós queremos a mesma coisa? Porque todos queremos encontrar aquela pessoa que nos completa? Não sei responder, mas é uma eterna busca, como as moscas na lâmpada que querem rodeá-la, mas acabam sempre estateladas no chão sonsas de tanto bater a cabeça ou com as asas quebradas após vários encontros contra o vidro quente.

O filme nos ensina que fugir do sofrimento é bobagem, devemos encarar nossos próprios medos e fraquezas e acreditar que é possível viver o que mais tememos. Acreditar numa paixão que desafia a lógica, fazer aquela viagem impossível ou mesmo buscar em seu próprio relacionamento a paixão que se tinha no início. Buscar algo próximo do ideal a partir do real e não o inverso, encarando todos os desafios necessários para se chegar até este território de sonhos.

Mesmo sabendo que vamos nos machucar novamente, após cada recuperação procuramos uma outra lâmpada para rodear, pois mesmo batendo a cabeça de vez em quando podemos sentir o calor que o amor nos proporciona, seja ele uma ilusão ou não. AFINAL, O QUE SÃO ALGUNS MACHUCADOS PERTO DE ALGUNS MINUTOS, ALGUNS INSTANTES DE AMOR? Sim, é isso o que queremos.(…)”